terça-feira, 23 de junho de 2015

Deputada quer que SUS distribua cadeiras de rodas que ficam em pé

A deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP) protocolou indicação ao Ministério da Saúde para que o SUS avalie a distribuição de cadeiras de rodas ortostáticas, modelo que permite aos usuários ficar em pé. Segundo a parlamentar são muitos os benefícios trazidos aos usuários dessas cadeiras. “Ficar em pé não traz apenas benefícios fisiológicos, como aperfeiçoamento da função circulatória, digestiva e respiratória, mas também melhora a qualidade de vida, com a redução da incidência de escaras, desconfortos por pressões lombares e doenças como a osteoporose”, explica Mara Gabrilli. “Por outro lado, a pessoa com deficiência pode alternar posições e enxergar o mundo sob um ângulo diferente. Por isso, o seu uso também contribui para o aumento da autoestima e da autorrealização”, completa.

O Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que existem, no Brasil, 45,6 milhões de pessoas com alguma deficiência (23,91% da população). Desses indivíduos, cerca de 13 milhões (7% dos brasileiros) têm deficiência motora, dos quais 4,4 milhões (2,33% da população total) apresentam níveis severos de limitação.

De acordo com a publicação Saúde Brasil 2011, do Ministério da Saúde, os eventos externos originadores de morbidade, como os acidentes automobilísticos, quedas e episódios de violência, representam importante causa de internação nos hospitais do Sistema Único de Saúde. No período de 2002 a 2011, por exemplo, a proporção de internações por causas externas apresentou aumento progressivo (de 6,1% em 2002 para 8,6% em 2011), com destaque para maior incidência em indivíduos adultos do sexo masculino (homens representaram 70,4% das internações por essas causas, e as mulheres, 29,6%).

Já a revista O Mundo da Saúde, do segundo trimestre de 2012, informa que as estatísticas em âmbito mundial demonstram que de 30 a 40 pessoas a cada milhão de habitantes sofrem lesão medular anualmente. No Brasil, de acordo com o Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS), que computa as internações nos hospitais próprios ou conveniados, num total de 20 milhões de internações, 20 mil correspondem a lesões da coluna e da medula. Muitas dessas vítimas ficam acometidas por lesão medular permanente, que varia quanto a sua intensidade e leva à perda parcial ou total da função motora, sensitiva e complicações no sistema orgânico.

Além de proporcionar bem estar ao cidadão, Mara Gabrilli afirma que a cadeira de rodas ortostática pode trazer economia ao SUS. “Alguns agravos como a osteoporose, escaras, complicações digestivas, respiratórias, circulatórias, dentre outros desconfortos que sobrecarregam o SUS, podem ser evitados com a adoção da posição ortostática por essa cadeira especial”, conclui a deputada. (Fonte: Assessoria)

Nenhum comentário: